Como mandar um prato de volta para a cozinha educadamente

Vamos imaginar que você está lá sentado em um restaurante de que gosta muito, esperando ansiosamente pela chegada da sua comida.

O garçom se aproxima e lhe serve os pratos. Tudo está muito bonito, como é de costume no lugar. Sem mais delongas, você olha para a sua companhia entusiasmado com o início da refeição e tudo parece perfeito. Mas ao levar o garfo à boca ou dar a primeira mordida, logo percebe que há algo errado.

Talvez o estranhamento seja muito grande e depois de bancar o detetive gastronômico por alguns instantes, você consiga até arriscar um palpite sobre a ausência de algum tempero, ingrediente adicional ou talvez simplesmente perceba um molho diferente que veio na sua salada.

Como proceder nesse caso?

O ideal é que o prato volte para a cozinha para ser refeito ou ter seu tempero reajustado. Mas é importante lembrar-se de que existem muitas maneiras gentis de se fazer isso de modo adequado.

Antes de mais nada, pare de comer imediatamente. Pedir que troquem um prato assim que você começou a provar pode parecer justificável. Mas se você continuar comendo um pouco e tentar, por exemplo, pedir que troquem a metade que sobrou do lanche que você comeu por um outro lanche novinho… talvez eles tenham mais dificuldade em acreditar nos seus motivos.

Nesse caso, o garçom e o cozinheiro podem afirmar que você teve outras intenções ao pedir pela troca, o que também é compreensível se olharmos por esse lado.

Mas e se eu pedir “sem” e vir “com” algo que eu não como de jeito nenhum?

Se você pedir que tirem os tomates de um prato que leva algumas rodelas e ele ainda sim for servido com tomates, você pode escolher entre duas alternativas simples: ou você mesmo coloca os ingredientes de que não gosta no canto do prato, ou chama o garçom para que ele ajuste o pedido conforme o requisitado.

No segundo cenário, tenho certeza de que se você explicar educadamente, ele vai levar o prato para a cozinha no mesmo instante e resolver o seu problema. Eles devem estar preparados para cuidar de alguns equívocos, não será nada demais.

Lembre-se que nenhum dos descuidos com o preparo é de responsabilidade do garçom, portanto evite descontar nele. O atendente é a sua ponte até o resto do estabelecimento, preserve sua relação com ele e torne seu trabalho mais fácil.

“Eu nunca falo nada. Tenho medo de cuspirem no meu prato.”

Caso o seu prato esteja muito distante do seu gosto, ou ao menos distante o bastante para que você tenha de pedir por um novo, não tenha medo de fazer o pedido. O garçom vai levar o caso até a cozinha, não brigar com o cliente que deu a sorte de ter sido servido com um prato que saiu diferente do padrão.

Nessa situação, você tem razão em pedir educadamente que algo seja a feito a respeito disso, afinal é o trabalho dos garçons verificar se você está satisfeito com o ordenado. O Código do Consumidor e a Vigilância Sanitária são ferramentas poderosas, nenhum bom restaurante vai correr o risco de ser acusado de insalubridade por ter deixado um funcionário cuspir no seu prato.

Para que qualquer funcionário corra o risco de ser demitido para “lhe dar uma lição”, você tem de no mínimo lhe dar algo que pareça um motivo muito bom, que sobreponha o seu respeito pelo o emprego… como o ofender pessoalmente, se dirigir a ele de maneira desrespeitosa ou ter conduta inapropriada. Então, de fato, ser sempre respeitoso com quem lhe serve é uma garantia eficiente de que nada desse tipo vai acontecer.

Portanto, não tenha medo. Quanto mais cedo chamar o atendente, mais cedo terá de volta seu prato ajustado.

Então eu posso mandar meu prato de volta sempre que não gostar?

Não é bem por aí. Geralmente os ajustes só são feitos quando algum ingrediente falta ou sobra no prato.

Existe, no entanto, um caso particular que com certeza vai frustrar o garçom e os cozinheiros: Você pedir um prato que contém um ingrediente que não conhece, não perguntar ao garçom sobre ele, e quando ele chegar, você reclamar que ele não é o que você esperava. Isso se aplica em casos como “não como cogumelos e não sabia que champignon é cogumelo”, ou “sou vegetariano e não sabia o que “panceta” era quando pedi.

Nesse caso, meus parabéns! Você conseguiu a incrível façanha de se tornar o tipo de cliente mais indesejado de todos. Quando você manda de volta para a cozinha por conta de um descuido dos cozinheiros, é compreensível… quando você manda um prato de volta por conta de um descuido seu, não é. Um ótimo prato de comida será jogado fora por que você não se deu o trabalho de fazer algumas perguntas ao garçom antes de pedir. Isso já é bem menos aceitável.

Conclusão

Na dúvida, use o bom-senso para determinar se você precisa mesmo mandar um prato de volta. Mas não tenha receio de fazer isso se a cozinha fez algo errado, eles vão lhe mandar um prato de comida novinho ou repaginado. Agora, se você mesmo fizer algo errado, procure aprender a lição e tirar suas dúvidas antes de fazer os pedidos às pressas e se equivocar.

Leia também: Conheça a Zume! A Pizzaria que assa suas pizzas no caminho até o cliente.

Já em uma situação inversa, em que você é o dono do Restaurante… aí a coisa pode ficar mais complicada. São muitas atividades para manter sob controle e uma ajudinha é sempre indispensável. Recomendo que instale o Programa Consumer e fique de olho em todos os processos do seu estabelecimento. O sistema te ajuda em tudo. Até a criar fichas técnicas que você pode preencher com uma relação detalhada dos ingredientes que compõem cada um dos seus pratos, assim os equívocos ficam raros!

Junte-se aos mais de 100 mil usuários que já fizeram o Download do Consumer e surpreenda-se com a quantidade de funcionalidades especialmente elaboradas para o ramo da alimentação. Clique no banner abaixo para saber mais.

Este artigo lhe deixou com dúvidas? Tem alguma sugestão ou reclamação? Entre em contato com a gente.

Artigo inspirado em um original do DailyMeal.

Participe e deixe seu comentário abaixo.