Entrevista com Gil Lanches e o sucesso de seu cachorro quente em Rio Preto - Blog do Programa Consumer

Entrevista com Gil Lanches e o sucesso de seu cachorro quente em Rio Preto

São José do Rio Preto tem muito a oferecer no quesito especialidade alimentar, se tratando de qualidade e bom gosto. Afinal, é neste município do interior de São Paulo que está localizado o Gil Lanches. Sendo uma das cidades mais populosas de São Paulo (cerca de 450.000 habitantes) e um grande polo industrial, cultural e de serviços do Estado, não é à toa que também foi considerada pela FIRJAN como a 2ª cidade mais desenvolvida do país – e portanto, mais promissora quando o assunto é desenvolver um negócio de sucesso, tal como o Gilmar da Silva Dias o fez quando criou o Gil Lanches.

O Gil Lanches está no mercado há 25 anos, oferecendo cachorros-quentes originais e tapiocas recheadas, com opções doces e bebidas diversas. O restaurante atende toda a cidade de São José do Rio Preto, e está localizado em dois pontos distintos: uma loja na Rua Siqueira Campos nº 4063 – Santa Cruz; e um food truck na Praça do Senac, na Avenida Ândalo, em frente à prefeitura.

O atendimento é feito das 18h à meia-noite, pelo telefone (17) 3301-1301. Para conferir os deliciosos pratos oferecidos no Gil Laches e obter mais informações, você pode acessar a fanpage do restaurante no Facebook clicando aqui.

Essa é uma série de reportagens que o Programa Consumer está realizando com seus clientes, para prestigiar e divulgar seus negócios e um pouco dos pratos da culinária Brasileira,  além disso objetivamos apresentar informações importantes a outros empreendedores do segmento da alimentação.

Leia a seguir uma entrevista que realizamos com o proprietário do Gil Lanches

O que te levou a montar seu próprio negócio no ramo alimentício?

Eu diria que foi a oportunidade, ou melhor, a falta dela. Na ocasião, eu estava passando por uma fase difícil, época na qual eu estava desempregado. Apesar de ter iniciado o meu restaurante com o intuito de sair da crise, ele foi desenvolvido com muito amor e hoje me sinto completamente satisfeito com o trabalho que vem sendo realizado.

Quais foram os maiores desafios que você passou no início dessa jornada?

Inicialmente, as principais dificuldades foram manter a qualidade dos produtos oferecidos uma vez que eu não possuía experiência no ramo, obter o reconhecimento do público e, por fim, preservar o que já foi criado – um desafio que se estende até hoje.

Qual a parte que você mais gosta de trabalhar, dentro do seu negócio?

A melhor parte de trabalhar no meu restaurante é receber a satisfação dos clientes. Geralmente, no momento em que o cliente realiza o pagamento, perguntamos o que ele achou do serviço e prato oferecido, a fim de melhorar a qualidade do estabelecimento.

Como foi sua inauguração?

Inaugurei o restaurante em 1991, e posso dizer que não foi fácil. Aliás, foi muito difícil continuar determinado, já que foram feitas pouquíssimas vendas nos primeiros dias do Gil Lanches.

Com quantos funcionários você começou? E quantos tem hoje? Qual a diferença que isso trouxe ao seu negócio?

Quando digo que o começo foi difícil você não imagina… comecei só no restaurante. Aos poucos fui contratando, e hoje conto com 12 pessoas me auxiliando no Gil Lanches. No total, já contratei 70 funcionários para fazer parte da minha equipe – foram muitos anos de experiência. Ter mais pessoas trabalhando comigo no restaurante tornou possível uma evolução ainda mais rápida do negócio, que pode ser vista na inauguração de nossa nova filial na cidade.

Sabe-se que o dono do restaurante trabalha mais que seus funcionários. Quantas horas você trabalhava por dia no início? E hoje?

Como eu estava só, no início eu trabalhava em dobro, em média sete horas por dia. Já hoje, eu trabalho somente das 12h às 15h, nem todos os dias.

Qual você considera o ponto mais forte (ou diferencial) do seu negócio?

Com certeza o nosso diferencial está na qualidade e originalidade de nossos produtos. Por serem exclusivos, os pratos do Gil Lanches atraem o olhar – e o apetite – de várias pessoas.

Confira abaixo algumas avaliações de seu estabelecimento.

feedback-Gil-Lanches-Rio-Preto

Quais são seus planos para o futuro?

Pretendo explorar meu próprio negócio ao máximo. O crescimento dele é a minha satisfação.

Teve alguma coisa que lhe serviu como inspiração? Se sim, o que seria?

Desde o início, tive como inspiração a vontade de crescer e ser diferente dos demais. É isso que me trouxe onde estou hoje, e é também por essa razão que vou continuar expandindo o restaurante.

Se fosse para escolher apenas um fato, qual seria a melhor coisa de ter aberto seu próprio negócio?

Vencer. Venci minhas dificuldades, e hoje tenho uma linda família e um negócio de sucesso. Realmente, sou uma pessoa muito feliz.

Para finalizar, o que você diria para o Gilmar do passado, no momento em que ele estivesse começando o próprio negócio?

Provavelmente eu falaria para ele fazer uma listagem das coisas positivas e negativas de abrir seu restaurante, para que tivesse uma ideia mais concreta antes de iniciar as atividades. Isso o pouparia de muitas dificuldades.

Configura algumas fotos

Opinião do Autor

Começar o próprio negócio não é fácil. É uma tarefa muito estressante e que demanda completamente o seu esforço. Entre os principais problemas que o dono de um restaurante enfrenta, podemos citar os desafios financeiros, de planejamento, de gerenciamento e lidar com a concorrência.

Mas abrir seu próprio restaurante também traz muitas alegrias, e pode ser uma experiência gratificante tanto profissionalmente quanto pessoalmente. No final das contas, os problemas são apenas pequenos obstáculos quando comparados à felicidade que o sucesso profissional e pessoal pode nos oferecer.

aplicativos-delivery-online-restaurantes-03

Além disso, podemos contar hoje com várias tecnologias para auxiliar nos desafios diários do gerenciamento de um negócio. O Gil Lanches utiliza o Programa Consumer para gerenciar seu restaurante e tem boas coisas a dizer sobre esse instrumento visionário:

“Por ter a oportunidade de experimentar o programa antes de utilizá-lo, pude conhecer as ferramentas sem ter que fazer um investimento inicial. Mas, depois de usá-lo uma única vez, é impossível não comprar o Programa Consumer! É uma solução no dia a dia de qualquer restaurante.”

 O que você achou dessa entrevista?

Gostaria de ler mais casos de sucesso na abertura e gerenciamento de um restaurante? Deixe sua resposta nos comentários.

Participe e deixe seu comentário abaixo.